19º Capítulo - O Empregado e o Iogurte




Na tarde seguinte de sábado, o sol pareceu dar sinais de vida, espreitando por detrás de algumas nuvens que ainda se encontravam escuras e cinzentas. Jaden acordara excecionalmente bem-disposto naquele dia, o que o fez encarar os acontecimentos anteriormente sucedidos de uma forma mais otimista. Até porque o rapaz que Jaden agredira, segundo Thomas, já se encontrava bem, o que lhe tirou um grande peso de cima dos ombros. Mas apesar da sensação de alívio, ainda não conseguia parar de pensar numa questão que parecia óbvia mas simultaneamente complexa: Como é que terá conseguido empurrar o colega para tão longe?
Dirigiu-se para o ponto de encontro que ele, Daisy (e Nathan) combinaram: uma esplanada agradável relativamente perto do cinema. Jaden sentou-se numa mesa à espera dos colegas, pegando no menu onde iria escolher uma bebida para se entreter pela espera que parecia dar indícios de ser muito longa, já que chegara tão cedo. Quando tirou os olhos da lista infindável de batidos e sumos, olhou em redor. A estrada que se estendia mesmo ao pé da esplanada encontrava-se agitada, assim como o resto da rua que circundava aquele lugar. Mas quando menos esperava, uma rapariga loira, de olhos brilhantemente azuis e uma expressão vazia, sentou-se ao pé de si, com um sorriso afável esboçado no seu rosto estreito.
- Olá, Daisy! – cumprimentou Jaden, perplexo.



- Não estava combinado encontrarmo-nos aqui? Qual é a surpresa? – inquiriu Daisy, soltando uma pequena gargalhada.
- Nada, nada! Apenas pensei que viesses mais tarde!
- Eu não me adiantei… o Nathan é que está atrasado. Oh, fala-se no diabo e ele aparece!
Nathan encaminhava-se para a mesa onde Daisy e Nathan se encontravam, com uma expressão satisfeita por ver os amigos, com o seu passo atropelado e instável.
- Olá malta! Espero não me ter atrasado!
- Por acaso…
- Não faz mal, Nathan! Senta-se! – interrompeu Jaden, com um tom de voz jovial apontando para uma cadeira vazia.



Nathan sentou-se e respirou fundo, olhando em redor para observar o exterior do bar, como se fosse a primeira vez que estivesse ali. Talvez até fosse, tal como Jaden.
- Querem alguma coisa para beber? – um empregado surgiu do nada, fazendo Daisy dar um pulinho da sua cadeira.
- Huh… sim. Quero um sumo…
- LIGHT! – vociferou Nathan, interrompendo Daisy, pelo que esta suspirou e voltou a encostar-se à cadeira.
- Eu quero uma cola! – pediu Jaden, com os dedos entrelaçados uns nos outros.
- E eu um iogurte… de morango!
- Vai-me desculpar, mas não temos iogurtes!
Nathan fez uma das suas expressões horrorizadas, pelo que Daisy e Jaden abafaram uma gargalhada genuína.
- NÃO TÊM IOGURTES? Mas que raio de espelunca são vocês?
- Pedimos desculpa, mas aqui só vendemos…
- Sim, sim… agora venha com desculpas… Traga-me um… sumo de laranja, e tem muita sorte por eu não lhe pedir o livro de reclamações!
- Oh Nathan! Controla-te, meu! – exclamou Jaden, num misto de repreensão e gozo.



Pouco tempo depois, o empregado surgiu novamente, com uma bandeja que trazia os pedidos feitos pelos três. Nathan olhou desdenhosamente para o seu sumo de laranja, como se estivesse estragado. Mexeu com a palhinha, emitindo um som com a boca que se assemelhou a algo como: “Tcha”.
- É lamentável não haver iogurtes neste lugar. Lamentável!



- Oh Nathan, bebe lá o teu sumo e cala-te com o iogurte! – disse Jaden, sorrindo ligeiramente, enquanto abria a sua lata de cola.
Nathan sugou ruidosamente o seu sumo, deixando Daisy cada vez mais incomodada com a sua presença. Mas aquele momento descontraído, na esplanada, com o sol a bater-lhes na cara, não convidava a exaltações. Por isso, Daisy limitou-se a lançar um olhar impaciente a Jaden. Mas este nem sequer reparou. Havia outra coisa que lhe usurpara a atenção.
Ao fundo da rua, meio escondido por uma carrinha Chevrolet, estava Thomas, mais conhecido como ‘o rapaz estranho’. Jaden beliscou a pele do braço e esfregou energeticamente os olhos. Mas ele continuava lá. Podia distingui-lo na perfeição, as suas já habituais calças de sarja beije e o colar espanta-espíritos que brilhava tenuemente com os reflexos do sol. Embora àquela distância fosse difícil distinguir feições, Jaden podia jurar que o rapaz mantinha o seu olhar glacial e interesseiro.



- Terra chama Jaden! – brincou Daisy, desencostando-se da cadeira para olhar melhor o amigo.
Jaden desviou o olhar para os colegas, que o observavam, animados. Aparentemente, não tinham dado pela presença de Thomas. Tinha sido só ele.
- E depois eu é que sou o lunático… - murmurou Nathan que, apesar de estar a sorrir, estava levemente revoltado.
Jaden riu-se superficialmente e apressou-se a beber a Coca-Cola, visto que era o único que ainda não a tinha acabado.

2 comentários:

Desi disse...

Hahahaha, OMG! O Nathan é tipo super cromo! HAHAHAHA!
Gosh, que cena. Mas, como sempre, MUITO BEM ESCRITO :D Escreves mesmo, mas mesmo mesmo bem (:
Continua assim.

sonholdiogosimoes disse...

HAHAHAHAHAHA! A ultima frase do Nathan ta super engraçada mesmo e o amibiente que crias-te em torno dos três amigos na esplanada ficou muito bom!
:D
Adorei! Espero ansiosamente pelo proximo:D:D:

Postar um comentário